quarta-feira, fevereiro 21, 2024
InícioBrasilFilho de Bolsonaro aluga sala de empresa investigada por corrupção no governo...

Filho de Bolsonaro aluga sala de empresa investigada por corrupção no governo do PT

Jair Renan Bolsonaro, o filho 04 do presidente Jair Bolsonaro, alugou recentemente uma nova sala para sediar a empresa Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia, a mesma que o pôs no centro de uma investigação da Polícia Federal por suspeita de tráfico de influência.

Com a mudança de endereço, o filho do presidente acabou se metendo em mais um enrosco — um enrosco, aliás, repleto de ironia. A sala, em um prédio comercial próximo à região central de Brasília, é de propriedade de um empresário que esteve no meio de um rumoroso escândalo de corrupção no governo do PT.

O imóvel alugado por Jair Renan está registrado em nome da empresa GFD Construções, cujo dono, Dércio Guedes de Souza, foi investigado e preso na Operação Custo Brasil, que mirou um esquema milionário de desvio de dinheiro de contratos de empréstimo consignado firmados pelo Ministério do Planejamento.

A sala chegou a ser alvo de uma ordem de sequestro de bens expedida pela Justiça em decorrência da apuração.

Na mesma operação, deflagrada em 2016, durante o governo de Dilma Rousseff, a Polícia Federal levou à prisão o ex-ministro Paulo Bernardo, que chefiava a pasta no período em que os desvios teriam ocorrido. As investigações apontaram o pagamento de R$ 100 milhões de reais em propinas.

Até o mês passado, a Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia seguia declarando como endereço o espaço que ocupava no estádio Mané Garrincha. Há poucas semanas, a mudança para a sala de propriedade da GFD foi oficializada na Junta Comercial do Distrito Federal e também na Receita Federal.

Procurada, a empresa de Jair Renan informou que desistiu de ocupar o imóvel, mas não em razão do histórico de seu proprietário. Braço-direito do filho 04 do presidente, o advogado Maciel Carvalho afirma que o valor do aluguel e outros detalhes do contrato foram alterados e, por isso, a empresa decidiu buscar um novo lugar.

Carvalho diz que nem ele nem Jair Renan sabiam que a sala é de de uma empresa cujo dono foi alvo de uma operação da Polícia Federal por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro na era petista.

“Para se locar uma sala não pedimos quem passou por lá ou não”, disse o auxiliar do 04. A coluna tentou contato com a GFD, mas não teve retorno até a publicação deste texto.

No início do ano passado, Jair Renan Bolsonaro virou alvo de um inquérito aberto na PF por causa das relações mantidas pela Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia com empresas interessadas em negócios com o governo federal.

Desde o início das atividades da firma, dois assessores de Jair Renan que o ajudavam na condução dos negócios — um deles personal trainer e outro, influenciador digital — foram afastados em razão de desentendimentos com o filho do presidente.

Os dois rompimentos foram turbulentos. O primeiro se deu por causa das transações que levaram à abertura da investigação na PF. O segundo também envolveu comportamentos questionáveis no relacionamento com empresários, como o próprio Jair Renan admitiu em entrevista à coluna.

Fonte: metrópoles

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -
Google search engine

Most Popular

Recent Comments

APOLONIA MARIA RIBEIRO CABRAL on Ipsem paga a partir de hoje inativos e pensionistas
APOLONIA MARIA RIBEIRO CABRAL on Ipsem paga a partir de hoje inativos e pensionistas
Lúcia Maria Herculano Pinto on Prefeitura homenageia mães com tarde festiva